Noviciado: A Experiência do Kairós do Redentor

À luz da nossa constituição segunda, o noviciado interprovincial Mãe do Perpétuo Socorro, traz neste ano de 2019 o tema: “Enviados para anunciar aos pobres a Palavra da Salvação”. (CS.2). E inspirados por esta temática, temos nos esforçado em viver este tempo segundo o exemplo de Jesus Cristo nosso Redentor. Somos nove noviços das diferentes unidades do nosso Brasil: Alberto Malheiros; Antonio Vinícius; Caio Oliveira; Damião Silva; Evaldo José; Ítalo Pereira; Joilson Ramos; Mateus Henrique e Raul Jackson, sobre os cuidados e ensinamentos do mestre Pe. João Paulo, da província de Goiás e o seu sócio; Ir. Pedro Magalhães da província do Rio de Janeiro. 
A partir da compreensão do noviciado como “momento oportuno”, ou seja, o Kairós, fomos chamados a experienciar durante esse ano, uma relação mais próxima com o Redentor, uma espécie de “Kairós do Redentor”. O que significa dizer, que neste tempo nos dispomos a uma escuta atenta do Pai, a partir, de uma abertura para reflexão acerca de nossa consagração, da oferta livre e alegre de nossa vida, que se materializa nos conselhos evangélicos de castidade, pobreza e obediência. 
Nesta experiência de se dispor a ouvir a voz do Redentor nós (noviços), temos todas as semanas as formações a respeito de temas que nos levam a reflexão e a escuta atenta da palavra de Deus. Assim como nos é oferecido um aprofundamento nas normas e na história da congregação do Santíssimo Redentor(C.SS.R). Este tempo, tem nos permitido ainda a oportunidade de mergulharmos com profundidade na vida de nosso fundador Santo Afonso Maria de Ligório. Nesse sentido a leitura do livro “Afonso de Ligório. Uma opção pelos abandonados” do historiador francês Th.Rey-Mermet, tem sido de grande ajuda. Como também a leitura espiritual das nossas Constituições e Estatutos. 
Neste período riquíssimo em experiência, que serão levadas para todo o tempo das nossas vidas, a convivência com os confrades e a vida comunitária é um ponto bastante relevante para nós, em vista que, como afirma as nossas constituições: “Os Redentoristas, para corresponderem a sua missão na Igreja, exercem a obra missionária de modo comunitário.” (CS.21). Portanto, é através da comunhão na oração e nos trabalhos que aprendemos dia após dia a nossa missão e o nosso serviço como Missionários Redentoristas que almejamos ser de direito. 
Contudo, o noviciado é a construção da nossa identidade na vida religiosa Redentorista. É o tempo de voltar ao nosso amor primeiro e firmar assim a nossa opção pelos mais pobres através do nosso carisma, seguindo os passos do nosso fundador, vivendo em comunidade com as nossas diferenças mais em busca da realização do nosso ideal comum, como bem afirmava o nosso mestre: “Somos todos diferentes, mais temos o nosso ideal que é comum. Por isso, precisamos criar a nossa identidade coletiva integrando tudo isso.” Assim sendo, procuramos a cada dia a exemplo de Afonso servo de nosso Senhor Jesus Cristo viver intensamente esse tempo de escuta da Boa Nova do Reino em nossas vidas. 
Foto: Arquivo do Noviciado de Goiás.

Em Cristo, Maria e Afonso,
17 de junho de 2019.
Joílson Ramos Santos