Carta aberta aos Redentoristas

Aparecida, 2 de fevereiro de 2018.

À família Redentorista,
De 28/1 a 2/2, em Aparecida-SP, aconteceu o Congresso Missionário Redentorista cujo tema foi: Santas Missões: identidade redentorista numa Igreja em saída. Participaram do mesmo: Pe. Rogério Gomes (conselheiro geral), alguns superiores (vice)provinciais, confrades vindos de todas as unidades redentoristas do Brasil e de algumas unidades da URNALC e da URSAL, religiosas que trabalham nas missões, formandos e missionários leigos redentoristas.
Sabemos que somos chamados a “continuar o exemplo de Jesus Cristo Salvador pregando aos pobres a Palavra do Senhor” (C. 1) e acreditamos que esta continuidade só será autêntica se em nosso corpo missionário houver, dentre outras frentes de trabalho, esta itinerância de Jesus através da pregação das Santas Missões Populares Redentoristas (SMPR): proclamar a Boa Nova aos pobres (cf. Lc 4,18) e retirá-los do abismo profundo em que foram lançados (cf. Sl 130).
Agradecidos pelo chamado que, cremos, nos foi dirigido por Deus, a partir da Igreja, para na Congregação colaborarmos na construção do Reinado de paz, justiça e amor, afirmamos o reconhecimento da validade das SMPR enquanto método de evangelização sempre oportuno na história da Igreja, sobretudo neste tempo. Seu valor está em ser Igreja em saída rumo aos campos, às pequenas e grandes cidades, às periferias existenciais, não para criar ou expandir estruturas, mas para promover a vida através do encontro de irmãos: “Os Redentoristas proclamam, antes de tudo, a sublime vocação do homem e do gênero humano... Empenhar-se-ão, pois, em ir ao encontro de Cristo onde Ele já está presente e atua com seu modo misterioso.” (C.7)
Reconhecemos a necessidade de: permanente atualização, para pregarmos o Evangelho de modo sempre novo; estímulo aos leigos, aos nossos formandos e a todos os congregados, para que este ideal de Afonso continue vivo em novas gerações; maior investimento em recursos materiais que possibilitem maior efetividade aos trabalhos missionários; disponibilizar mais confrades para o serviço exclusivo às missões populares; disponibilidade dos demais confrades para este tipo de atividade extraordinária.
Cientes da necessidade de adaptação às condições especiais de cada situação, comprometemo-nos a, permanentemente, buscar novos caminhos, atentos às necessidades do Povo de Deus, em sintonia com a Igreja, em constante intercâmbio de experiências e colaboração, para que a cultura da missão seja revitalizada em certas unidades e recriada em outras.
Que Santo Afonso e a Mãe do Perpétuo Socorro intercedam junto do Santíssimo Redentor para que, através do seu Espírito derramado em nossos corações, suscite um maior ardor missionário em nossa Congregação, para fazermos a vontade do Pai: a Missão!
Participantes do Congresso Missionário Redentorista 2018